O recomeço preguiçoso …

As férias terminaram. Hoje, tudo volta à rotina normal. Não foram, exactamente, como tinha planeado. Talvez tenha criado expectativas demasiado altas, mas, na verdade, com tantas interrupções de trabalho torna-se difícil desligar.

No entanto, o principal acho que conseguimos: estar com os miúdos e aproveitar o tempo todo com eles. Esta manhã, a Catarina começou a chorar quando percebeu que o pai não estava, porque tinha ido trabalhar. Ficou mal habituada com tanto mimo e atenção. No fundo, será isto que os nossos filhos recordarão das férias: grandes doses de amor e atenção.

Gostaria de nesta fase estarmos a regressar à rotina cheios de força, mas como nunca desligámos de verdade, não conseguimos recarregar as baterias necessárias. Contudo, é nossa obrigação dar o nosso melhor e santificar o nosso trabalho. É isso que vamos fazer, com a ajuda de Deus e o Seu Espírito de Fortaleza e de Sabedoria.

Tenho de vos contar das nossas férias, num próximo post. 

Bom recomeço ou boa continuação.

AS

Parabéns Pedro! 1 ano de vida…

Hoje, o nosso querido filho faz 1 ano. Lembro-me, como se fosse hoje, das particularidades dessa gravidez, por já não ser a primeira. Lembro-me da intimidade da nossa família no trabalho de parto. Lembro-me da de quando vi a sua cara pela primeira vez, igual à irmã.

Este filho veio aperfeiçoar a nossa família. Veio torná-la melhor, mais feliz, mais generosa, mais agitada, mais perfeita. Este filho veio exigir que nos desinstalassemos, de muitas e variadas formas, para conseguirmos amá-lo mais e amar mais os outros e a vida.

A Catarina não achou muita piada ao irmão, no ínicio. Hoje, tenho a certeza de que não se lembra da sua vida sem o mano querido. Vê-los aos beijinhos e abraços compensa tudo o que possa ser menos bom.

Deus fala-nos muito através dos filhos. Com nascimento do Pedro falou-nos de uma forma especial. No dia do seu nascimento, dei muitas graças ao Bom Deus pelo dom da vida que nos tinha concedido. Hoje, dou muito mais graças, porque o maior aumentou de uma forma grandiosa.

Na minha opinião, quando os nossos filhos nascem já os amamos muito, mas esse amor vai crescendo com o dia-a-dia, até ao infinito. É um amor que cresce todos os dias um bocadinho e nunca pára de aumentar.

Meu querido filho, esta família amou-te à nascença, mas ama-te muito mais hoje. Fazes parte de nós de uma forma tão maravilhosa.

S. Miguel Arcanjo, S. Pedro e Santa Mónica te guardem. Que Deus te abençoe e Maria te proteja.

Parabéns meu amor mais pequenino…

AS

IMG_20160718_115428

Férias cheias de coisas de filha…

As nossas férias não têm sido de muito descanso, mas temos tentado fazer o melhor que conseguimos, com o que temos.

Ontem, foi dia de volta saloia. Em criança, todos os anos, davamos este mesmo passeio, até Mafra e arredores, com passagem obrigatória na aldeia do Franco, no Sobreiro.

Tanto melguei o marido que me fez a vontade. Começámos de manhã cedo na Tapada de Mafra, com almoço com vista privilegiada para o Convento e terminámos, como na minha infância, no Sobreiro, a comer um belo pão com chouriço.

O Pedro anda um destemido, cheio de mau feitio e determinação. Quer tudo à sua maneira e não quer parar quieto. O mais maravilhoso é quando diz mamã🙂 .

A Catarina é aquele doce diabrete que nos surpreende, a toda a hora, com as suas saídas. Vou mencionar algumas do dia de ontem, porque são muitas, e a maioria nem poderia escrever aqui, de tão apuradinhas.

# O pai pergunta-lhe se está a gostar do passeio e a Catarina responde: “Não. Preferia estar em casa a brincar”.

# No Sobreiro quis ir a um baloiço. Como era em chão de areia, disse-lhe que ia sujar os pés com areia (coisa que detesta) para ir ao baloiço. Olhou para mim com cara marota e decidida e disse: “Então vais ter de me levar ao colo mamã”.

# No caminho para casa argumenta com o pai sobre comer rebuçados. Para terminar a conversa remata: “Pai, eu avisei-te. Já te disse que posso comer rebuçados”.

# À noite, em casa dos avós, fecha-se com a avó na cozinha e diz-lhe: “Avó, quando o pai, a mãe e o avô estiverem a trabalhar, tu dás-me um rebuçado. A avó argumenta que não lhe pode dar rebuçados, ao que a gaiata responde: “Podes sim. E eu não digo nada ao pai, à mãe e ao avô.”

Foi um dia fantástico, com todas as condicionantes de se ter 2 crianças com menos de 3 anos. Contudo, passear em família torna tudo especial e mais feliz. Poder fazer com os meus filhos algo que os meus pais faziam comigo e me deixava sempre alegre foi muito importante para mim.

Para a semana há mais… Se Deus permitir!

AS

Começaram as férias…

keep-calm-porque-estou-de-ferias-10Chegou ao fim o primeiro dia de férias. Temos pela frente um mês para usufruirmos uns dos outros ao máximo. O pai João ainda vai andando com uma perninha em trabalho, nuns e noutros, mas, com uma grande dose de amor e de boa vontade, a família vai conseguindo articular.

De manhã, quando a Catarina acordou e desceu, o pai estava numa divisão oposta e a pobre gaiata nem se apercebeu que o pai estava em casa. Quando o pai começou a descer, disse-lhe que o pai não iria trabalhar. Ficou tão admirada como agradada. Acho que vamos ficar todos muito mal habituados com a companhia uns dos outros. Não queiram estar por perto quando nos tivermos de separar de novo para a labuta diária. Irá “haver choro e ranger de dentes”, certamente.

Queremos pôr em dia todo o tempo que fica perdido no dia-a-dia. E é muito. Este vai ser tempo para descansar; para pôr ideias em ordem; para projector e para observar cada minuto do melhor que nós temos: os nossos filhos.

Hoje, o meu coração encheu-se de ternura por diversas vezes, como quando vi o pai brincar com a filha sem pressas; quando fui embalada com a canção que o pai cantava para adormecer o filho; ou até quando brincava com os dois filhos no chão, provando a mim própria ter uma elasticidade que já não imaginava ter.

Muitas vezes, não conseguimos fazer nas férias o que pretendíamos fazer, ir onde queríamos ir, estar com quem desejávamos estar. Também a nós, nestas férias, isso irá acontecer. No entanto, acredito que o importante é quando vamos aproveitando este tempo para parar de verdade para estar com os nossos, de forma verdadeira: olhá-los com olhos de ver; escutá-los e não apenas ouvi-los; cheirá-los para guardar o cheiro na memória; estar de corpo e alma. Isto é o que eu quero destas férias. Se a isto juntar outras coisas boas, é sempre a melhorar.

Boas férias!

AS